23/09/2021 às 19:45

23

Quinta

Set

2 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo.

Nas últimas semanas, alguns economistas passaram a alertar o mercado sobre o risco de estagflação. Este é um fenômeno já vivido no Brasil anteriormente. Mas para quem desconhece, se trata de uma ameaça ao desenvolvimento econômico. E claro, como a bolsa de valores reflete o lucro das empresas, existem riscos para os investidores. 

Em primeiro lugar, vale uma breve explicação sobre o que é a estagflação. Este movimento ocorre quando um país entra em período de recessão. Mas, ao mesmo tempo, sofre com a escalada de preços para a sociedade de uma forma geral. 

Neste cenário, produtos costumam ficar cada vez mais caros, enquanto indústrias e empresas reduzem a produção e cortam vagas de trabalho. Ou seja, a renda média da população cai, enquanto os preços sobem.

Isto, de forma geral, é resultado de políticas econômicas e monetárias equivocadas que podem trazer sérios prejuízos para um país. 

Mas, o Brasil vive um período de estagflação?

Diante do cenário de inflação, desemprego e crise econômica, alguns agentes de mercado começam a chamar a atenção para este risco por aqui.

Ao menos por ora, o nosso país tem apresentado dados de crescimento e contratações mais positivos. O grande ponto é se esta recuperação econômica de fato permanecerá por mais tempo, ingrediente necessário para que a estagflação não alcance o bolso dos brasileiros. 

Tendo isso em vista, a continuação da agenda de reformas é muito importante, a fim de melhorar o ambiente de negócios em conjunto com controle fiscal adequado. A melhora na relação entre os três poderes também é benéfica para o país. Na medida em que passa confiança e estabilidade para que o setor privado possa seguir com os investimentos em expansão.  

No caso da bolsa de valores, é importante destacar que ela é formada por nada menos do que empresas. Quando há uma perspectiva de estagflação, a tendência é um crédito mais caro, menos contratações e produção estabilizada ou até menor. E isto significa lucros menores. 

As ações vão cair?

Desta forma, quando a perspectiva é de piora nos resultados, automaticamente as ações dessas companhias passam a valer menos.  

Se a Ibovespa, em um cenário hipotético, tinha potencial para chegar até 150 mil pontos, ela passa a ser reduzido caso a estagflação ocorra. E aí, você já sabe, é bolsa para baixo, investidor(a)!

Por fim, como forma de proteção diante deste cenário, o investidor pode buscar a diversificação por meio de ativos internacionais e títulos atrelados ao IPCA, como eu citei no artigo anterior.

Se você ainda tem dúvidas sobre qual caminho seguir e como, exatamente, diversificar, não deixe de buscar a ajuda de um profissional. Quando se trata da formação de patrimônio, é preciso ter segurança daquilo que é feito. Pois é o seu futuro que está em jogo. Bons negócios! 

Artigos Relacionados

  • 11

    Quarta

    Mai

    11/05/2022 às 14:01

    Economia

    Web 3.0: o que é e como impacta os investimentos?

    Compartilhe

    CompartilhePor Helbert Costa, responsável pela área de inovação da Monte Bravo Investimentos Não é lá novidade que o mundo tem passado por um processo de transformação acelerado, sobretudo, no que diz respeito à tecnologia. Há dez anos ou 15 anos não ouvíamos os termos criptoativos e metaverso no Brasil, comuns no dia a dia de […]

    Continue lendo
  • 10

    Quinta

    Mar

    10/03/2022 às 13:57

    Economia

    A Rússia pode quebrar financeiramente?

    Compartilhe

    CompartilheDepois das sanções impostas à Rússia, com a incapacitação de envio de recursos através do sistema SWIFT, serviço de padronização de mensagens e informações financeiras, muitas dúvidas surgiram quanto a estabilidade econômica do país: será que a Rússia pode quebrar financeiramente? Um dos pontos mais discutidos do momento é sobre as reservas russas e se […]

    Continue lendo
  • 23

    Quarta

    Fev

    23/02/2022 às 15:32

    MB Sócios

    O que é uma Holding Familiar? Saiba se está na hora de criar a sua

    Compartilhe

    CompartilhePor Marina Gonçalves, advogada e responsável pela área de Wealth Planning na Monte Bravo  O planejamento patrimonial é fundamental para preservar, organizar e perpetuar o legado familiar. Com a devida execução, ele possibilita maior eficácia na governança, harmonia entre os membros da família, além de evitar litígios na disposição e partilha de bens, e ainda […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1