MB Sócios

Com alta da Inflação, títulos indexados ao IPCA voltam a ser atrativos

15/10/2021

Compartilhe

Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo.

Na última semana, comentei aqui sobre a volta da Renda Fixa para o radar das investidoras e investidores. Com a alta da inflação, o Banco Central vem elevando a taxa básica de juros, o que tem feito com que títulos indexados ao IPCA, por exemplo, se tornem alternativas interessantes para quem investe. 

Sobretudo quando observamos o cenário que tem sido desenhado para o curto e médio prazos. Em setembro, vimos uma reação negativa dos mercados à persistência da alta de preços no Brasil e no mundo. Toda essa movimentação tem sido causada por fatores como risco fiscal, político, crise energética, redução de estímulos globais e desaceleração da economia da China. 

O índice Ibovespa, por exemplo, recuou mais de 6% no último mês e, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), os fundos acionários tiveram mais saques do que depósitos. Ao mesmo tempo, com a elevação da Selic, os fundos de renda fixa registraram uma captação líquida de quase R$ 35 bilhões. 

No total, são mais de R$ 237 bilhões em depósitos, maior volume já registrado em 15 anos. E o mesmo movimento tem sido observado em diferentes classes dentro da Renda Fixa. 

Ao que tudo indica, esta tendência não deve se alterar tão cedo. Entende por que, neste sentido, os títulos indexados ao IPCA podem e devem fazer parte da estratégia de qualquer investidora ou investidor?

Mas, onde exatamente investir?

É possível encontrar papéis do Tesouro IPCA que pagam a variação da inflação mais uma taxa. Aqueles com vencimento para depois de 2024 têm oferecido retornos de 4% mais inflação.

Alguns analistas têm destacado que a diferença para as taxas de papéis mais longos hoje está significativamente menor e que, por isso, opções com prazos intermediários (até 2030) fazem mais sentido agora. Para exemplificar, o Tesouro IPCA com vencimento em 2055 tem oferecido IPCA + 5%, com poucas vantagens para um espaço de tempo tão grande.

Por outro lado, títulos do Tesouro prefixados também podem ser interessantes. Neste caso, as taxas de retorno são definidas no momento de compra.

Em ambos os casos, vale ressaltar que, apesar de pertencerem à classe de Renda Fixa, podem sofrer com a volatilidade. Diante disso, a solução é a busca por papéis com vencimentos intermediários (com vencimento até 2030), que sofrem menos com a variação do mercado. 

Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, não deixe de estudar, acompanhar este espaço e buscar uma assessoria de investimentos profissional. Todas as semanas traremos novas dicas. Bons negócios!


Invista com quem entende sua história e personaliza a gestão do seu patrimônio

Entre em contato com nossos especialistas e abra sua conta!


Compartilhe

Quer saber como investir melhor o seu patrimônio?

Invista para potencializar as suas conquistas.

Leia também

  • 24

    quarta

    nov

    24/11/2021

    MB Sócios

    PEC dos Precatórios e os impactos para investidores

    Por Rodrigo Franchini, Sócio e Head de Relações Institucionais da Monte Bravo O mercado tem acompanhado de perto a PEC dos Precatórios e os desdobramentos dela no Senado. Alguns parlamentares estão reticentes à aprovação do projeto por causa do aumento do risco fiscal brasileiro pela ampliação do teto de gastos para financiar o Auxílio Brasil, […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 18

    quinta

    nov

    18/11/2021

    MB Sócios

    IFIX já caiu mais de 8% em 2021. E agora?

    Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo. O ano não tem sido fácil para algumas classes de ativos e os fundos imobiliários estão entre elas. O Ifix amarga uma queda de mais de 8% em 2021 e as perspectivas não são tão boas no curto prazo. Com a economia deteriorada, muitos investidores (as) começam a questionar se estão fazendo […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 17

    quarta

    nov

    17/11/2021

    MB Sócios

    Curadoria de conteúdo: como se informar sobre investimentos diante de tanta oferta?

    Por Pier Mattei, CEO e sócio-fundador da Monte Bravo para o Jornal do Comércio Há pouco mais de 20 anos, os brasileiros contavam com poucas opções para administrar o patrimônio. O cenário de inflação e juros altos formou um padrão de investimentos que se dividia entre caderneta de poupança, imóveis e até linhas telefônicas em […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 11

    quinta

    nov

    11/11/2021

    MB Sócios

    COP26: Até agora, quais lições os investidores podem tirar?

    Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo. Mesmo com o mercado brasileiro agitado por conta da PEC dos Precatórios e furo do Teto de Gastos, a COP26 não tem passado despercebida. Adiada em um ano por conta da pandemia, a conferência, que vai até amanhã, 12 de novembro, lança luz às discussões sobre o clima […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 05

    sexta

    nov

    05/11/2021

    MB Sócios

    Entrevista com Pier Mattei: Inflação é o pesadelo do investidor e momento é da renda fixa.

    Entrevista feita por Karla Spotorno do veículo Broadcast Investimentos com Pier Mattei, CEO e sócio fundador da Monte Bravo. São Paulo, 22/10/2021 – Inflação neste ano e eleição presidencial em 2022. Essas são as maiores preocupações dos investidores, segundo Pier Mattei, cofundador da Monte Bravo. Ainda que o horizonte siga turvo para os portfólios de […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 04

    quinta

    nov

    04/11/2021

    MB Sócios

    Temporada de Balanços: O que temos enxergado até aqui?

    Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo. Ainda que a pandemia esteja perto do fim em muitos países, os efeitos de 2020 ainda permanecem na economia mundial. Não só o Brasil, mas muitos países têm enfrentado uma crise energética e de demanda industrial. E esses dois drivers explicam, em partes, o que tem pressionado a inflação e, por consequência, […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 03

    quarta

    nov

    03/11/2021

    Economia

    Veja as evoluções das aplicações financeiras de outubro/2021

    O mês de outubro foi marcado por oscilações e grandes baixas, resultando em mudanças significativas no cenário econômico nacional. Veja abaixo as evoluções das aplicações financeiras deste último mês. Compartilhe

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 29

    sexta

    out

    29/10/2021

    MB Sócios

    Alta da inflação: risco ou oportunidade?

    Por Bruno Madruga, Sócio e Head de Renda Variável da Monte Bravo Investimentos A inflação vem preocupando o mercado e, claro, os investidores brasileiros. Com a disparada dos preços de insumos, alimentos, gás, gasolina e dólar, a visão de que a alta da inflação seria transitória já caiu por terra. Essa preocupação vem provada em […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 22

    sexta

    out

    22/10/2021

    MB Sócios

    Debandada no Ministério de Guedes e furo do Teto de Gastos: como ficam os investimentos?

    Por Rodrigo Franchini, Sócio e Head de Relações Institucionais da Monte Bravo Na última quinta-feira, 21 de outubro de 2021, quatro secretários do Ministro da Economia, Paulo Guedes, pediram exoneração de seus cargos. Isso aconteceu após o presidente Jair Bolsonaro furar o Teto de Gastos da economia. O Teto de Gastos aprovado pelo governo Temer em […]

    Compartilhe

    Continue lendo

R. Min. Jesuíno Cardoso, 454 - 9° andar Vila Nova Conceição, São Paulo-SP, 04544-051, Fone (11) 3018-0960

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

1