Como funcionam os ciclos econômicos? - Monte Bravo

Como funcionam os ciclos econômicos?

25/05/2022 às 10:04

25

Quarta

Mai

2 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Os ciclos econômicos são um dos assuntos mais importantes para o investidor. Isto porque eles são responsáveis por boa parte do direcionamento de fluxo de capitais, seja no Brasil ou em qualquer outro país. De forma resumida, compreender como funcionam os ciclos econômicos ajuda a entender para onde vai o dinheiro e como você pode investir melhor.

Para começar, é preciso entender o que são, como funcionam os ciclos econômicos e quais são as suas características. 

Ciclos econômicos estão diretamente relacionados com o crédito, uma vez que mudanças nos juros têm efeito direto sobre a atividade econômica de um país. 

Quando a taxa básica está baixa, em tese, empréstimos e financiamentos para pessoas e empresas ficam mais baratos. Com isso, é possível haver aumento na oferta de investimentos, empregos e renda. As bolsas de valores, neste caso, tendem a subir uma vez que o aumento na oferta de crédito favorece as companhias e o mercado. E é neste ponto que entram as quatro fases que formam um ciclo.

EXPANSÃO > PICO > CONTRAÇÃO > RECESSÃO

As quatro fases do ciclo econômico

  1. Expansão

A primeira delas, a expansão, ocorre quando a economia tem forte crescimento, sobretudo na produção de bens, serviços e renda. Aqui, a taxa básica de juros, no geral, é baixa. 

  1. Pico

A segunda fase, o pico, ocorre quando os indicadores atingem níveis máximos e a inflação começa a sofrer um desequilíbrio. Em outras palavras, é quando há uma expansão violenta e a economia se desajusta. Neste ponto, os Bancos Centrais costumam iniciar a discussão sobre a mudança de política monetária. 

Leia também: Como funciona o ciclo de juros no Brasil?

Vale ressaltar que os mercados de renda variável não necessariamente sofrerão correções em momentos de crise, mas é importante observar a mudança de cenário em relação aos negócios, que são os grandes responsáveis pela formação das bolsas de valores. 

Ainda assim, seja qual for o momento do ciclo, salvo algumas exceções específicas de curto prazo, é bem provável que oportunidades sejam criadas para o investidor. Portanto, é preciso ficar atento e estar bem informado para tomar as melhores decisões.   

  1. Contração

Em seguida, a terceira fase é formada pela contração. Ou seja, quando os agentes econômicos começam a perceber uma diminuição na atividade, com taxa de desemprego em tendência de aumento constante. 

  1. Recessão

A quarta e última é a recessão. É o ponto mais profundo de uma crise macroeconômica, com capacidade produtiva ociosa, níveis de desemprego altos e juros elevados.  

Como os ciclos econômicos impactam os investimentos?

Como dissemos acima, mudanças de ciclo e crises costumam gerar problemas, mas também oportunidades de investimentos. 

Setores como os de varejo, construção, locação de automóveis, aviação, viagens e commodities estão diretamente relacionados com as questões que comentamos anteriormente. 

Por outro lado, existem ainda muitas companhias com receita em dólar, que podem servir como alternativa de proteção caso a economia na qual o investidor está inserido enfrente dificuldades. 

Converse com seu assessor de investimentos para definir as melhores oportunidades para seu perfil, levando em consideração o ciclo econômico. Bons negócios!

Artigos Relacionados

  • 02

    Quinta

    Mai

    02/05/2024 às 10:57

    Economia

    Monte Bravo Analisa | Federal Open Market Committee (FOMC) 01.05.2024

    Compartilhe

    CompartilheFed mantém Fed Funds em 5,50%, mas reduz ritmo de venda de treasuries de US$ 60 bilhões para US$ 25 bilhões por mês O FOMC manteve a taxa de Fed Funds (juros base dos EUA) em 5,50% a.a. e avalia que os riscos para o duplo mandato de pleno emprego e inflação evoluíram para um …

    Continue lendo
  • 06

    Quarta

    Mar

    06/03/2024 às 17:34

    Economia

    MONTE BRAVO ANALISA – Por Luciano Costa, economista-chefe da Monte Bravo

    Compartilhe

    Compartilhe🇧🇷 O PIB do 4° trimestre de 2023 teve desempenho em linha com nossa expectativa, mas abaixo do consenso do mercado: – PIB ficou estável na margem no 4° trimestre, ficando em linha com nossa expectativa e abaixo da mediana do mercado (+0,1%). Em termos anuais, o PIB cresceu 2,1%. – A economia encerrou com …

    Continue lendo
  • 31

    Quarta

    Jan

    31/01/2024 às 19:46

    Economia

    Copom reduz taxa Selic para 11,25% a.a.

    Compartilhe

    CompartilheConforme sinalizado, o Comitê de Política Monetária do Banco Central reduziu a taxa Selic em 50 p.b. trazendo a taxa Selic para 11,25% ao ano. No Comunicado, o COPOM justificou a decisão, da seguinte forma:  Ambiente externo segue volátil, e marcado pelo debate sobre o início do corte de juros nas principais economias –  em …

    Continue lendo

Fechar

Loading...