22/01/2021 às 11:29

22

Sexta

Jan

2 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo.

O mercado de fundos imobiliários, assim como o de ações, nunca esteve tão em alta no Brasil como hoje. Nos últimos anos, com a redução da taxa Selic, a renda variável como um todo ganhou espaço na carteira de muitos investidores.

Porém, alguns assuntos ainda são um pouco nebulosos ou desconhecidos e você que está lendo este texto talvez nunca tenha ouvido falar em fundo de fundos ou Fund of Funds. É sobre isso que vamos falar hoje. 

Como é o mercado dos FIIs?

Antes porém, é importante trazer alguns dados que ajudam a ilustrar o cenário de fundos imobiliários. De acordo com dados da B3 (SA:B3SA3), até novembro de 2020 o número de cotistas deste tipo de produto aumentou 76%. Isto sem falar no ano de 2019, quando esta quantidade triplicou em relação ao ano anterior.

O motivo para este crescimento não é apenas um. Como disse anteriormente, a redução na taxa básica de juros favoreceu este movimento já que os investidores precisaram (e ainda precisam) buscar alternativas atrativas para substituir a renda fixa.

Além disso, a capacidade dos FIIs de gerar renda passiva por meio dos rendimentos distribuídos mensalmente também é outro ponto que chama muito a atenção.  

Diante deste cenário, temos visto algumas iniciativas novas no mercado brasileiro. Segundo a CVM, o número de fundos registrados em 2020 cresceu 12,9%. Em relação às novas ofertas, foram 70 durante o último ano.

A Suno Research, por exemplo, uma das casas de análises mais renomadas do país, lançou recentemente o índice SUNO 30, composto por 30 fundos imobiliários distribuídos entre os segmentos do tipo tijolo, que investem em imóveis físicos, e FIIs do tipo papel, focados em renda fixa do setor imobiliário.

O objetivo da empresa ao criar o índice foi o de oferecer uma referência como benchmark para monitorar o desempenho dos fundos imobiliários listados na B3. Para fazer parte do SUNO 30, é preciso obedecer a alguns critérios claros e bem definidos que, na prática, possibilitam a criação de resultados superiores ao IFIX.

Mas, Rebeca, onde entra a questão de fundo de fundos?

Para ser mais precisa, no dia 15 de janeiro, tivemos o lançamento de um fundo de fundos na B3, o KISU11. Na prática, o FoF tem como objetivo a aquisição de cotas de outros fundos listados no IFIX e que fazem parte do índice SUNO 30.

Ou seja, por meio de um fundo de fundos os investidores conseguem acessar vários ativos por meio de uma única aplicação financeira.

Para investir neste tipo de produto basta que o investidor tenha recursos suficientes para adquirir a cota e procure o “ticker” por meio do home broker da corretora.

Além disso, ao menos por enquanto, a distribuição de dividendos, que ficou na casa de 7,8% em janeiro, é isenta de imposto de renda.

E aí? O que acha de um fundo de fundos como parte da sua estratégia de diversificação?

Lembre-se: 

Contar com uma assessoria de investimentos de respeito e pronta para montar uma carteira funcional de acordo com o seu perfil é essencial para o sucesso de seu patrimônio. 

Por isso, conte com a Monte Bravo, principal empresa credenciada à XP Investimentos, com uma equipe de assessores especialistas em diversos produtos disponíveis no mercado. Faz a diferença ter a Monte Bravo como uma parceira financeira. Conheça agora

Artigos Relacionados

  • 11

    Quarta

    Mai

    11/05/2022 às 14:01

    Economia

    Web 3.0: o que é e como impacta os investimentos?

    Compartilhe

    CompartilhePor Helbert Costa, responsável pela área de inovação da Monte Bravo Investimentos Não é lá novidade que o mundo tem passado por um processo de transformação acelerado, sobretudo, no que diz respeito à tecnologia. Há dez anos ou 15 anos não ouvíamos os termos criptoativos e metaverso no Brasil, comuns no dia a dia de […]

    Continue lendo
  • 10

    Quinta

    Mar

    10/03/2022 às 13:57

    Economia

    A Rússia pode quebrar financeiramente?

    Compartilhe

    CompartilheDepois das sanções impostas à Rússia, com a incapacitação de envio de recursos através do sistema SWIFT, serviço de padronização de mensagens e informações financeiras, muitas dúvidas surgiram quanto a estabilidade econômica do país: será que a Rússia pode quebrar financeiramente? Um dos pontos mais discutidos do momento é sobre as reservas russas e se […]

    Continue lendo
  • 23

    Quarta

    Fev

    23/02/2022 às 15:32

    MB Sócios

    O que é uma Holding Familiar? Saiba se está na hora de criar a sua

    Compartilhe

    CompartilhePor Marina Gonçalves, advogada e responsável pela área de Wealth Planning na Monte Bravo  O planejamento patrimonial é fundamental para preservar, organizar e perpetuar o legado familiar. Com a devida execução, ele possibilita maior eficácia na governança, harmonia entre os membros da família, além de evitar litígios na disposição e partilha de bens, e ainda […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1