29/06/2020 às 16:15

29

Segunda

Jun

4 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Se você está começando a investir agora, provavelmente se deparou a opção de investimento em fundos de ações.

Antes de entender se elas são boas opções de investimentos, vamos entender o que são estes fundos.

Os fundos são basicamente uma opção simples e fácil de investir na bolsa de valores.

Os fundos existem justamente para simplificar este processo de investir em ações, que são investimentos bastante específicos, que sofrem constantes flutuações e demandam conhecimento especializado.

Imagine um grupo de pessoas que se juntam para investir em algo. Neste caso, as pessoas estão se juntando para, coletivamente, comprar determinados grupos de ações de empresas de capital aberto escolhidas por especialistas, os chamados gestores dos fundos.

Os fundos normalmente contam com alguma gama de ações. Eles são divididos por segmento de atuação ou por características de comportamento destas ações.

Fundos de investimento em ações são considerados investimentos de renda variável. Isso significa que seu retorno não pode ser previsto com exatidão.

Ou seja, o rendimento deste tipo de investimento sofre alterações positivas ou negativas, conforme o comportamento do mercado. 

Na lógica da renda variável, há maior risco, mas também possibilidades de rendimento maiores.

Como funcionam os fundos de ações?

Um fundo de ações é um conjunto de ativos que precisa ter necessariamente ao menos 67% de seu investimento em ações de renda variável.

O restante pode ser aplicado em investimentos de renda fixa, como tesouro direto e tesouro Selic, por exemplo, que possuem rendimentos baixos, porém sempre constantes.

Os fundos são sempre geridos por especialistas em ações, os chamados gestores de fundos.

A função destes gestores é justamente cuidar dos fundos de perto. Ou seja, escolher as ações e fazer as análises e movimentos necessários conforme as mudanças de contexto do mercado.

Por conta desta gestão, há sempre uma pequena taxa de administração a ser paga.

Como investir em fundos de investimento?

Para entrar neste tipo de investimento, você deve escolher uma corretora de confiança, escolher dentre os fundos que serão recomendados ao seu perfil, e comprar cotas dos fundos escolhidos.

Cada investidor é então chamado de cotista, pois comprou uma cota do fundo. O valor de rendimento é proporcional ao tamanho de sua cota.

Como os fundos variam muito de perfil, alguns deles possuem valor mínimo para começar a investir. Alguns serão indicados para quem pretende investir um montante maior, e outros para quem irá investir um valor menor.

Ao investir em um determinado fundo, você deverá acompanhar os relatórios de performance desses fundos. Nesse momento, é bom lembrar de seu objetivo inicial ao investir, assim como do perfil geral de seu fundo.

Ou seja, não adianta escolher um fundo de investimento mais vantajoso a longo prazo e esperar que ele tenha rendimentos rápidos.

O melhor caminho é sempre analisar a descrição de perfil do fundo e escolher o que melhor combina com suas expectativas.

Por que escolher fundos de investimento em ações?

A grande vantagem do fundo de ações é que você não precisa dedicar uma grande quantidade de tempo estudando o funcionamento da bolsa de valores, as ações das empresas, e nem se preocupar em acompanhá-las em tempo real.

Ao invés disso, você precisa apenas escolher alguns fundos e confiar em seus gestores.

Os especialistas atuam acompanhando as oscilações de mercado por você e tomando as decisões necessárias de acordo com estratégicas definidas e expectativas de rendimento.

Os gestores fazem isso justamente para que você não precise fazer e, ainda assim, tenha essa oportunidade de investir em ações.

Como escolher os melhores fundos de ações?

Existem muitos tipos de fundos. Ao analisar e escolher em quais investir, você deve se atentar principalmente em:

  • Gestor do fundo
  • Risco
  • Características e performance do fundo
  • Rendimento
  • Segmento de atuação
  • Liquidez

Gestor do fundo

Na hora de escolher um fundo, é essencial que você decida por um em que confie no gestor. É preciso confiar que o gestor fará as melhores escolhas de acordo com as flutuações do mercado.

Isso porque, ao investir em um fundo, você está entregando seu dinheiro para que este especialista o gerencie.

Ou seja, você deve analisar o histórico desse gestor, assim como os critérios que ele utiliza para gerir os fundos e tomar as decisões e, assim, sentir a confiança necessária.

A taxa administrativa também varia conforme a gestão. Ainda que não costume ser uma taxa muito alta, é preciso saber qual percentual será descontado do rendimento e comparar valores.

Risco

Após selecionados alguns fundos, você deve ser sincero quanto ao risco que pode correr.

Um fundo com volatilidade alta, ou seja, que sofre mais alterações, vai exigir uma tolerância maior a riscos. Neste caso, você deve ser sincero quanto a seu perfil e suas possibilidades.

Para driblar o risco, é sempre um bom diversificar seus investimentos. Se você optar por fundos mais ousados, deve investir uma parte de seu dinheiro também em fundos mais conservadores.

Além, é claro, de manter sempre um investimento em renda fixa.

Características e performance do fundo

Você também deve analisar o perfil dos fundos escolhidos.

Cada fundo sempre terá uma descrição, discriminando quais tipos de ações estão inclusas ali, de empresas de quais segmentos. Além disso, terão um tipo de perfil e histórico de performance.

Rendimento

O dado básico a analisar é o rendimento que este fundo teve no ano anterior, pois pode dar um indicativo de como ele se comporta.

Porém, é preciso ter em mente que um rendimento alto em um ano não necessariamente significa garantia de continuidade do mesmo rendimento.

Segmento de atuação

Há muitos fatores envolvidos que você deve colocar na conta: desempenho de determinado segmento da economia, contextos macroeconômicos, contextos políticos, etc.

Portanto, você deve analisar o comportamento das empresas e segmentos dos fundos para ter em mãos todas as variáveis que podem impactar no comportamento das ações.

É claro que o gestor é que irá se dedicar a este estudo profundo, mas você também deve ter alguma ideia destas variáveis.

Liquidez

Outro dado a analisar é a liquidez, ou seja, a facilidade de conseguir vender suas ações e então resgatar seu investimento. A escolha baseada nesses critérios vai de acordo com o seu perfil, você pode precisar de uma garantia de liquidez alta, ou não.

Investimentos small caps, por exemplo, são ações empresas de baixo valor de mercado. Isso pode ser uma ótima oportunidade para quem aceita riscos e quer apostar em um potencial de alta valorização destas ações por acreditar em determinado segmento de atuação.

Por outro lado, podem ser ações desastrosas para quem não pode arriscar ou precisa de uma garantia maior liquidez maior.

Para uma escolha consciente, você deve sempre cruzar as informações do fundo com as características de seu próprio perfil como investidor.

Considerando todas as recomendações para escolher seus fundos com cuidado, investir em fundos de ações certamente pode ser uma ótima opção se você deseja investir no mercado de ações. 

Artigos Relacionados

  • 08

    Quarta

    Jun

    08/06/2022 às 15:59

    Investimentos

    Pessoas físicas dominaram os investimentos em Fiagros

    Compartilhe

    CompartilheOs Fiagros caíram no gosto dos investidores, especialmente, pessoas físicas. Um estudo da B3, a Bolsa de Valores brasileira, mostra que este perfil corresponde a 98% do volume investido na classe, que passou a marca dos R$2 bilhões.  Além disso, o levantamento ainda revela que desde a sua criação, em 2021, o número de investidores […]

    Continue lendo
  • 25

    Quarta

    Mai

    Como funcionam os ciclos econômicos no Brasil e como impactam investimentos? Entenda.

    25/05/2022 às 10:04

    Economia

    Como funcionam os ciclos econômicos?

    Compartilhe

    CompartilheOs ciclos econômicos são um dos assuntos mais importantes para o investidor. Isto porque eles são responsáveis por boa parte do direcionamento de fluxo de capitais, seja no Brasil ou em qualquer outro país. De forma resumida, compreender como funcionam os ciclos econômicos ajuda a entender para onde vai o dinheiro e como você pode […]

    Continue lendo
  • 30

    Quarta

    Mar

    Collar é estratégia de proteção (Crédito: Unsplash/Joshua Mayo)

    30/03/2022 às 16:14

    Investimentos

    O que é um Collar e para que serve?

    Compartilhe

    CompartilheO Collar é uma estratégia de defesa para o(a) investidor(a) que já possui ou deseja comprar um ativo como proteção. Nessa estrutura, quem investe consegue garantir que a posição seja mantida em caso de queda do mercado ao mesmo tempo em que possibilita as chances de ganhos, se houver valorização e aumento de preços. No […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1