05/08/2020 às 17:59

05

Quarta

Ago

3 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Entramos em mais uma semana de manutenção do ciclo de quedas na taxa Selic. Mas você sabe como seus juros reais são impactados com essa redução? Primeiro vamos entender o que são os seguintes conceitos: a taxa nominal e a taxa de inflação.

Você provavelmente já se deparou com a taxa nominal e não se deu conta disso. A taxa nominal é a taxa contratada ou declarada pela instituição que oferece o ativo. É aquela que você vê escrita junto ao seu investimento, mas muitas vezes passa batida. 

Vamos imaginar o seguinte: 

Ao investir no Tesouro Selic, que é um título público pós-fixado e indexado à taxa Selic, qual seria a taxa nominal? Então… Sabendo que o seu investimento irá render 100% da Taxa Selic, sendo ela hoje, 2% ao ano, a taxa nominal anual serão os próprios 2%. 

Ou se você investir em um CDB com rentabilidade de 100% do CDI, sua taxa nominal seria, hoje, 1,90% ao ano.

Entendida a taxa nominal, vamos à taxa de inflação:

O IPCA, que é o índice oficial da inflação, é calculado todos os meses pelo IBGE. E como todo bom índice, ele calcula algo. O IPCA mede a variação de preço de determinados bens e serviços que são significativos para a população, como alimentação, bebidas, transportes, despesas pessoais, entre outros itens.

Ele analisa, mês a mês, o preço desses itens para saber se os mesmos aumentaram, se mantiveram os mesmos. E caso os preços aumentem, mesmo que pouco, podemos dizer que o nosso poder de compra diminuiu. 

Calma, vamos entender melhor! 

Você concorda comigo que se a taxa média de inflação sobe, será necessário fazer um esforço maior para adquirir os mesmos produtos consumidos no dia a dia? Ela provoca a desvalorização do dinheiro no decorrer do tempo. Por exemplo: se a inflação for de 4% ao ano, a compra que você fazia no supermercado que era de R$ 100,00 em um ano, passará a ser de R$ 104,00 no ano seguinte. É desta forma que a inflação afeta sua vida.

Entendida a taxa nominal e a inflação, vamos aos juros reais.

Você acredita que, investindo no Tesouro Selic, por exemplo, a sua rentabilidade será 100% da Taxa Selic e alguns descontos referentes ao Imposto de Renda e eventuais taxas. 

Aí entram os juros reais. Lembra que a inflação afeta a sua vida e, também, pode diminuir o seu poder de compra ao longo do tempo?

Pois é, a taxa de juros real representa o rendimento dos seus investimentos na prática. 

Ela leva em conta a inflação no seu cálculo. Porque, digamos, se a inflação ao longo do ano te faz perder poder de compra, de alguma forma ela vai afetar o rendimento dos seus investimentos. Esse cálculo pode não parecer, mas ele é muito simples.

Taxa Real = (1+Taxa Nominal)  _ 1 / (1+Inflação)

Você entende que existe um rendimento em um período e uma inflação no mesmo período que influenciou o valor do seu dinheiro e seu respectivo poder de compra, certo?

Vamos a um exemplo prático:

Rentabilidade do Investimento:

– TESOURO SELIC 2% ao ano
– TAXA BÁSICA DE JUROS DA ECONOMIA.

  • Expectativa de Inflação do período 1,60% ao ano (Fonte: Boletim FOCUS divulgado no dia 3/08/2020, que informa a expectativa do mercado em relação a alguns indicadores da economia como o IPCA, o PIB, o câmbio e a taxa Selic). 
  • JUROS REAL = (1+0,02)  _1 = (1,02) _1 = 1,0039 – 1 = (1+0,016) / (1,016)
  • = 0,0039 x 100 = 0,39% a.a.

Portanto: como a queda da Taxa SELIC influencia em seus juros reais?

Cada vez que a taxa Selic se aproximar ainda mais da taxa de inflação, menor será a diferença entre elas, o que significa, menor rentabilidade para os investimentos relacionados à Renda Fixa, que são, em sua maioria, indexados à taxa Selic, ao IPCA e ao CDI. Seus juros reais então, renderão menos de 0,50% ao ano.

Ficou claro? Espero que eu tenha feito a sua dúvida sumir. Me siga no Instagram (@marinaseixas) para aprender ainda mais sobre finanças e investimentos. Toda semana, também, estarei aqui no site de Conteúdos da Monte Bravo com mais artigos informativos.

Marina Seixas
Finanças e investimentos

*Este artigo foi escrito por Marina Seixas, produtora de conteúdos da Monte Bravo.

Artigos Relacionados

  • 17

    Sexta

    Jun

    17/06/2022 às 15:00

    Economia

    Fed e Copom: como os aumentos dos juros impactam os investimentos?

    Compartilhe

    CompartilheO Federal Reserve, dos Estados Unidos, e o Comitê de Política Monetária brasileiro, o Copom, anunciaram as decisões de elevar juros na última Super Quarta, dia 15. O Fed realizou aumento de 0,75 ponto percentual, para uma faixa de 1,5% a 1,75%. Este foi o primeiro e o maior aumento dessa magnitude desde 1994. Já […]

    Continue lendo
  • 30

    Segunda

    Mai

    30/05/2022 às 11:39

    Economia

    Come-Cotas: O que é e como funciona?

    Compartilhe

    CompartilhePouco apreciado por investidores e gestores, o come-cotas é um assunto bastante discutido no mercado nesta época do ano. Ele nada mais é do que uma antecipação do Imposto de Renda de quem investe em alguns fundos de investimentos específicos – especialmente os abertos. Sua incidência ocorre no último dia útil de maio e novembro, […]

    Continue lendo
  • 25

    Quarta

    Mai

    Como funcionam os ciclos econômicos no Brasil e como impactam investimentos? Entenda.

    25/05/2022 às 10:04

    Economia

    Como funcionam os ciclos econômicos?

    Compartilhe

    CompartilheOs ciclos econômicos são um dos assuntos mais importantes para o investidor. Isto porque eles são responsáveis por boa parte do direcionamento de fluxo de capitais, seja no Brasil ou em qualquer outro país. De forma resumida, compreender como funcionam os ciclos econômicos ajuda a entender para onde vai o dinheiro e como você pode […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1