BDRs e ações: como ganhar dividendos da Microsoft - Monte Bravo

BDRs e ações: como ganhar dividendos da Microsoft

01/04/2024 às 10:01

01

Segunda

Abr

3 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

BDRs e ações: campeã mundial de dividendos, big tech pode fazer parte da estratégia de proventos do brasileiro; compare aportes feitos em BDR e em ações diretamente nos EUA

A Microsoft (MSFT) foi a empresa que mais pagou dividendos em 2023, conforme o Índice de Dividendos Globais da Janus Henderson. A gigante de tecnologia desembolsou US$ 20,74 bilhões em proventos no ano, equivalentes a US$ 2,79 por ação. Desde 2005, os dividendos da Microsoft são constantes e crescentes, com altas que já fizeram o valor distribuído subir mais de 8 vezes.

Brasileiros podem receber essa renda de duas formas: investindo diretamente nas ações da Microsoft nos Estados Unidos ou comprando os recibos de ações (BDRs), listados na B3. Há, no entanto, pelo menos duas mudanças para as quais o investidor precisa se atentar: a forma de remuneração e até o valor recebido na conta.

Confira a seguir as diferenças entre o investimento em BDRs e em stocks da Microsoft, quanto um aporte de R$ 5 mil rende em dividendos em cinco anos, e qual caminho os especialistas recomendam para aplicar de olho nos proventos da big tech.

BDR x ação dos EUA: o que muda?

Os BDRs são um investimento indireto nas ações internacionais. Como recibos, eles dão acesso a alguns direitos – como receber dividendos -, mas não tornam o investidor um acionista da empresa. Negociação e distribuição de proventos são em reais, o que representa uma mudança em relação às ações originais, que são negociadas nos EUA e pagam em dólares.

Além disso, muitos BDRs não replicam suas ações-referência inteiras, mas frações delas. No caso da Microsoft, a ação original está avaliada em US$ 428,74 na Nasdaq (cerca de R$ 2.137,78), já o BDR no Brasil sai por R$ 88,48 – a paridade entre a ação original e o BDR é de 1:24. Isso quer dizer que, para receber a totalidade dos dividendos de uma ação da Microsoft, é necessário que o investidor brasileiro tenha pelo menos 24 BDRs.

O processo de distribuição de dividendos para donos de BDRs passa por uma série de etapas automáticas e obrigatórias que afetam o valor final recebido pelo investidor:

  • Imposto: o primeiro passo é a cobrança obrigatória, direto na fonte, de 30% de imposto de renda sobre os dividendos;
  • Conversão: em seguida, o valor é convertido para reais, em processo que embute taxa de câmbio (preço do dólar) e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 0,38%;
  • Taxas: Por fim, há a taxa do banco depositário, que intermedia a emissão do BDR, que pode variar entre 3% e 5%.

No caso do recebimento de dividendos das ações dos EUA por meio de contas internacionais, a única etapa obrigatória é a do pagamento de imposto de renda, que é feito diretamente na fonte. Os demais passos são de escolha do investidor, que pode optar por converter os seus proventos ou não. Caso opte pela conversão, também haverá taxa de câmbio e IOF. A taxa bancária será outra, uma tarifa de serviço das contas internacionais, que varia entre 1% e 3%.

Há de se lembrar que na primeira etapa para investir nas ações da Microsoft na Bolsa Americana também é feito um processo de conversão de moeda, com cobrança de taxa de câmbio e IOF.

Quanto R$ 5 mil rendem em dividendos da Microsoft?

Bruno Madruga, estrategista de Ativos na Monte Bravo fala sobre a escolha entre BDRs e ações internacionais.

Bruno Madruga, estrategista na Monte Bravo, acredita que a escolha entre BDRs e ações internacionais está mais relacionada com a preferência do investidor em receber os proventos em reais ou dólares e o acesso que ele tem às Bolsas dos EUA.

“As ações internacionais pagam em dólar. A conversão desse valor é opcional e pode ser uma vantagem ou desvantagem, depende do câmbio. O investidor pode escolher o momento da conversão. Com os BDRs não, a conversão é automática e será sempre em reais”, diz Madruga.

Confira a reportagem na íntegra no portal InfoMoney.

Artigos Relacionados

  • 13

    Segunda

    Mai

    Edifício-sede do Banco Central no Setor Bancário Norte, em lote doado pela Prefeitura de Brasília, em outubro de 1967

    13/05/2024 às 12:38

    Sala de Imprensa

    COPOM: redução no ritmo de corte da taxa de juros para 0,25 pp

    Compartilhe

    O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) se reúne nesta quarta-feira (20) e deve reduzir a taxa básica de juros da economia. Há uma dúvida, porém, sobre o tamanho do corte de juros.

    Continue lendo
  • 13

    Segunda

    Mai

    Vai ter rali no Ibovespa neste fim de ano?

    13/05/2024 às 12:28

    Sala de Imprensa

    Projeção para Ibovespa: Monte Bravo reduz de 170 mil para 155 mil pontos no fim de 2024

    Compartilhe

    CompartilheA Monte Bravo voltou a estimar o Índice Bovespa em 155 mil pontos no fim do ano, estimativa que havia sido alterada no começo de 2024 para 170 mil pontos. “Nosso cenário base do Ibovespa no final de 2024 é que o Índice será negociado em 155 mil pontos” afirma em relatório. Conforme a corretora, …

    Continue lendo
  • 13

    Segunda

    Mai

    13/05/2024 às 12:10

    Sala de Imprensa

    Come-cotas dos fundos exclusivos: o que fazer para fugir

    Compartilhe

    A partir deste ano, os investidores de fundos exclusivos fechados terão de pagar come-cotas semestralmente, em maio e em novembro, perdendo o benefício do deferimento fiscal.

    Continue lendo

Fechar

Loading...