08/10/2020 às 17:10

08

Quinta

Out

2 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Muitas pessoas se assustaram ao ver os seus Títulos ou Fundos de Renda fixa apresentando rentabilidade negativa nos últimos dias.

Por serem considerados Renda Fixa, muitos investidores não sabem que esses ativos podem apresentar bastante volatilidade.

Os preços dos títulos podem sofrer muita variação ao longo do tempo por diversos fatores. Não à toa, muitos especialistas comentam sobre a importância de se planejar financeiramente a fim de não haver a necessidade do resgate de Títulos Públicos antes da data de vencimento. 

Caso você precise resgatar a sua aplicação antes dela, você pode ter prejuízos.

Por que isso acontece?

Quando você decide resgatar o seu título antes do combinado no momento da aplicação, você irá realizar a venda para outro investidor. Nesse momento, você vai precisar vender pelo preço do mercado, que pode estar oferecendo um valor abaixo do que você pagou no momento em que fez a aplicação. 

Diversos fatores influenciam essa “marcação à mercado”, ou seja, a oscilação que o preço do seu título pode sofrer.

Vamos entender alguns

No início do ano vimos muitos títulos de crédito privado, ou seja, dívidas emitidas por empresas, apresentando rentabilidade negativa. Muitos investidores buscaram resgatar os títulos em busca de liquidez – dinheiro em caixa disponível – e, principalmente, por medo das empresas emissoras dos títulos não conseguirem pagar as dívidas por conta da crise do coronavírus

Sobre a situação pontual relacionada a títulos públicos federais, as incertezas sobre o furo do teto de gastos e o aumento da dívida pública são fatores de risco. Quanto maior a incerteza e  a probabilidade de o Governo se endividar, mais insegurança os investidores vão adquirir.

Dessa forma, a percepção de risco sobre os títulos do Governo aumenta e isso faz com que ele precise oferecer uma taxa de juros maior para que os investidores sejam atraídos a comprar os títulos, ou seja, as dívidas do Governo. 

Esse movimento causa a desvalorização dos ativos na marcação a mercado, porque ativos que foram comprados a uma taxa mais baixa de remuneração, passam a ser negociados a taxas mais altas.

Mas, não se assuste.

Isso não significa que você tenha perdido dinheiro. Você pode sofrer algum prejuízo financeiro caso decida resgatar agora. Então, eventuais oscilações negativas podem não ser tão preocupantes, a menos que você precise vender seu título antes da data de vencimento.

Quando analisamos uma janela curta, essa rentabilidade negativa parece super relevante. Quando analisamos o longo prazo, a variação passa praticamente despercebida.

Como os Fundos de Renda Fixa investem em uma cesta de títulos públicos, eles acompanham toda a dinâmica dos mesmos e justamente por isso, eles demonstraram uma rentabilidade negativa no início do mês de outubro de 2020. 

Por conta disso, muitos investidores se questionaram sobre ser ou não o momento de resgatar as suas cotas. O ideal recomendado por muitos especialistas seria o de ler as cartas dos gestores publicadas mensalmente. Nelas, eles comentam sobre o cenário econômico, política, empresas, estratégia e fatores que podem eventualmente causar alguma preocupação como essa.

Como conclusão…

Mesmo com esse fator negativo, muitos especialistas ainda comentam sobre fatores positivos que devem ser levados em conta em relação aos títulos públicos.

O risco de crédito dos mesmos continua sendo o mais baixo do mercado e a liquidez diária significa que o resgate pode ser realizado a qualquer momento. 

*Este artigo foi escrito por Marina Seixas, produtora de conteúdos da Monte Bravo.

Artigos Relacionados

  • 08

    Quarta

    Jun

    08/06/2022 às 15:59

    Investimentos

    Pessoas físicas dominaram os investimentos em Fiagros

    Compartilhe

    CompartilheOs Fiagros caíram no gosto dos investidores, especialmente, pessoas físicas. Um estudo da B3, a Bolsa de Valores brasileira, mostra que este perfil corresponde a 98% do volume investido na classe, que passou a marca dos R$2 bilhões.  Além disso, o levantamento ainda revela que desde a sua criação, em 2021, o número de investidores […]

    Continue lendo
  • 25

    Quarta

    Mai

    Como funcionam os ciclos econômicos no Brasil e como impactam investimentos? Entenda.

    25/05/2022 às 10:04

    Economia

    Como funcionam os ciclos econômicos?

    Compartilhe

    CompartilheOs ciclos econômicos são um dos assuntos mais importantes para o investidor. Isto porque eles são responsáveis por boa parte do direcionamento de fluxo de capitais, seja no Brasil ou em qualquer outro país. De forma resumida, compreender como funcionam os ciclos econômicos ajuda a entender para onde vai o dinheiro e como você pode […]

    Continue lendo
  • 30

    Quarta

    Mar

    Collar é estratégia de proteção (Crédito: Unsplash/Joshua Mayo)

    30/03/2022 às 16:14

    Investimentos

    O que é um Collar e para que serve?

    Compartilhe

    CompartilheO Collar é uma estratégia de defesa para o(a) investidor(a) que já possui ou deseja comprar um ativo como proteção. Nessa estrutura, quem investe consegue garantir que a posição seja mantida em caso de queda do mercado ao mesmo tempo em que possibilita as chances de ganhos, se houver valorização e aumento de preços. No […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1