14/09/2020 às 15:59

14

Segunda

Set

4 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

O número de brasileiros que passaram a investir no mercado de ações cresce a cada mês. De acordo com os dados mais recentes, quase 3 milhões de players estão em atividade atualmente – a maioria esmagadora composta por pessoas físicas. Com tanta gente de olho na bolsa, fica a pergunta: para se tornar um trader, basta operar no mercado de ações?

A resposta é não!

Um trader – ou negociante, na tradução mais próxima da função deste personagem – não é apenas aquele que tem os seus negócios ou empregos e que, nas horas vagas, investe sua sobra financeira em renda variável.

O trader é um profissional do investimento, dotado de expertise a respeito do funcionamento do mercado de ações, sensibilidade para antever acontecimentos de curtíssimo, curto, médio e longo prazos e senso de momento e oportunidade para direcionar seus investimentos para o “lugar” certo, na hora certa.

Para tanto, é preciso reunir no mínimo algumas habilidades e condições:

Dedicação – Se a sua ideia é aplicar uma reserva na bolsa e esperar as coisas acontecerem, sem sua intervenção, é melhor não almejar ser um trader. Talvez, o mercado de ações nem seja para você. Como estamos falando de renda variável, a sua participação (ou a de um corretor) é muito importante.

É claro que as plataformas de gestão de investimentos ajudam muito, mas não são suficientes para obtenção de resultados ou para mitigar ao máximo as perdas. Prepare-se para assistir de perto à evolução do seu dinheiro!

Informação – Sabe aquele bloco de economia que você sempre desprezou nos telejornais ou nos feeds de notícia? É bom considerar acompanhá-los, de preferência em mais de uma fonte. Por ali, você fica por dentro de notícias micro e macroeconômicas que podem impactar na vida do país e das empresas, bem como a situação das commodities e de outros ativos do mercado futuro.

Assessoria – Muitos traders não têm dedicação exclusiva para seus investimentos. Aliás, nem é indicado “jogar tudo para o alto” apenas para investir no mercado de ações – que, como sabemos, é o que comporta mais riscos. Por isso, uma boa assessoria financeira pode ajudar nos primeiros passos e nas decisões mais nevrálgicas durante o processo.

Estratégia – Por que você quer investir? Trace planos que envolvam expectativa de resgate e nunca considere a possibilidade de ficar milionário da noite para o dia. Bolsa de valores não é uma loteria, e envolve muito menos sorte do que conhecimento. Situações excepcionais podem acontecer, mas infelizmente elas têm mais a ver com grandes perdas do que com grandes ganhos. Traders de sucesso conseguem alta rentabilidade com o tempo, com planejamento e com técnica.

Feito este checklist, passemos aos tipos de traders, que variam basicamente quanto ao tipo de investimento e à expectativa de resgate.

O que um day trader?

Os day traders têm pretensões diárias em jogo, e seus papéis nunca ficam posicionados de um dia para o outro – ou seja, os ativos adquiridos são encerrados (vendidos ou adquiridos) no mesmo pregão.

Esse personagem se importa menos com a volatilidade de longo prazo, que envolve fatores estruturais das empresas, por exemplo, e mais com as variações diárias. É o profissional ligado ao “humor do mercado”, aos gráficos e à análise do dia. 

Ele entende o dia da bolsa como uma narrativa com começo, meio e fim, com aplicações que reagem a pequenos e médios estímulos ao longo do pregão. É uma atividade de alto risco, o que não chega a ser um problema, se estiver amparada em uma boa assessoria de investimentos.

E o que é swing trader?

O swing trader não tem tanta pressa, mas seus papéis não ficam posicionamentos por muito tempo também.

Este já está mais preocupado com o comportamento das ações a médio prazo e pode ser impactado positiva ou negativamente por notícias depreciativas.

E o position trader?

Por fim, o position trader não está interessado na volatilidade diária nem a curto prazo. É o investidor que aplica em ações “a perder de vista”, esperando vários anos pelo resgate. Seu interesse não está no lucro dos papéis propriamente dito, mas nos dividendos que este papel vai gerar com o passar dos anos.

É claro que as três estratégias podem ser conciliadas, mas sempre de acordo com um vigoroso plano estratégico que inclui métodos e políticas de acompanhamento próprios.

Plataformas (como o home broker) são muito eficientes, mas podem não ser suficientes para iniciantes. 

Antes de aderir a uma delas, siga outras regras de ouro:

  • Nunca invista todo seu capital em ações. Nunca!
  • Aposte em uma assessoria de investimentos especializada, honesta e atenta a suas particularidades de ritmo de vida, renda e interesses.
  • Não pense que a vida de um trader é estressante como era antigamente, mas também não superestime os resultados. Há muito trabalho pela frente (e isso é muito bom e gratificante!).
  • De novo: não é sorte. É técnica e planejamento.

A Monte Bravo tem o melhor time de especialistas em renda variável para transformá-lo em um investidor no mercado de ações ou dar mais musculatura aos seus investimentos, capacitando-o para o mundo dos traders.

Em cima do lance, a equipe vai posicioná-lo sobre os papéis mais propensos para o trade diário, os menos sujeitos às oscilações do swing trade e os mais voltados para os rendimentos a longo prazo.

Tudo isso com uma linguagem clara e franca, como esse post.

Gostou? Então curta nossas publicações nas redes sociais e acompanhe outras dicas sobre o mundo dos investimentos.

Artigos Relacionados

  • 08

    Quarta

    Jun

    08/06/2022 às 15:59

    Investimentos

    Pessoas físicas dominaram os investimentos em Fiagros

    Compartilhe

    CompartilheOs Fiagros caíram no gosto dos investidores, especialmente, pessoas físicas. Um estudo da B3, a Bolsa de Valores brasileira, mostra que este perfil corresponde a 98% do volume investido na classe, que passou a marca dos R$2 bilhões.  Além disso, o levantamento ainda revela que desde a sua criação, em 2021, o número de investidores […]

    Continue lendo
  • 25

    Quarta

    Mai

    Como funcionam os ciclos econômicos no Brasil e como impactam investimentos? Entenda.

    25/05/2022 às 10:04

    Economia

    Como funcionam os ciclos econômicos?

    Compartilhe

    CompartilheOs ciclos econômicos são um dos assuntos mais importantes para o investidor. Isto porque eles são responsáveis por boa parte do direcionamento de fluxo de capitais, seja no Brasil ou em qualquer outro país. De forma resumida, compreender como funcionam os ciclos econômicos ajuda a entender para onde vai o dinheiro e como você pode […]

    Continue lendo
  • 30

    Quarta

    Mar

    Collar é estratégia de proteção (Crédito: Unsplash/Joshua Mayo)

    30/03/2022 às 16:14

    Investimentos

    O que é um Collar e para que serve?

    Compartilhe

    CompartilheO Collar é uma estratégia de defesa para o(a) investidor(a) que já possui ou deseja comprar um ativo como proteção. Nessa estrutura, quem investe consegue garantir que a posição seja mantida em caso de queda do mercado ao mesmo tempo em que possibilita as chances de ganhos, se houver valorização e aumento de preços. No […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1