29/12/2020 às 09:00

29

Terça

Dez

3 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Dando continuidade ao artigo anterior, trago mais três estratégias básicas para investimentos em ações. 

Já conversamos sobre as mais conhecidas, portanto venho mostrar que existem muitos outros tipos de maneiras de investir em renda variável de forma inteligente. Confira abaixo:

1. Buy and Hold

Você já ouviu falar em Buy and Hold? Essa estratégia é basicamente a montagem de uma carteira de ações pensando no futuro. O que isso quer dizer? 

Simples: você compra determinadas ações e as mantêm na carteira a fim de se beneficiar com os rendimentos e valorizações que o papel pode apresentar no decorrer do tempo. 

Esse tipo de estratégia é indicada para investidores com foco no longo prazo, que querem ser sócios da empresa e de seus resultados futuros, e não somente especular com o preço de suas ações.

É importante chamar atenção para o fato de que o conceito correto para o buy and hold é o de comprar as melhores empresas e segurá-las por um período indeterminado, enquanto elas ainda continuam a ser de altíssima qualidade. Comprar ações pensando no longo prazo, não significa esquecê-las na carteira.

Dessa forma, sob hipótese alguma, se recomenda segurar um ativo quando ele não apresenta a qualidade operacional pelo qual foi motivo para escolhê-lo como um bom investimento.

2. Dividendos

Os dividendos – também chamados de proventos – representam parte dos lucros das empresas que são distribuídos aos acionistas. Aqui no Brasil, é muito comum que as empresas listadas na Bolsa de Valores distribuam, pelo menos, 25% dos seus lucros aos acionistas.

É comum que investimentos em empresas que paguem maiores dividendos sejam considerados mais defensivos.

Isso ocorre porque muitas das empresas que possuem uma previsibilidade maior em seu modelo de negócios e resultados são menos afetadas em alguns momentos nos quais outras empresas são afetadas. 

Como, por exemplo, as empresas de energia elétrica que possuem contratos atrelados a um determinado reajuste de preços. Elas podem ter uma previsibilidade maior dos seus resultados financeiros, assim como uma blindagem também maior em momentos de crise, que podem afetar setores específicos, como petróleo, consumo, tecnologia, etc. 

O investidor que se utiliza dessa estratégia busca investir naquelas empresas que possuem um alto retorno via chamado DIVIDEND YIELD, que seria a relação entre os proventos pagos em dinheiro por uma empresa e a cotação das ações desta empresa. 

Ou melhor: mostra o quanto do valor pago em dividendos corresponde ao preço da ação, o que nos faz concluir que quanto maior o dividend yield de uma empresa, mais atraente ela se torna frente às outras companhias.

Vamos imaginar o seguinte: caso o preço da ação de determinada empresa esteja R$ 10,00 e ela pague um dividend yield de 10% ao ano. Ou seja, você espera receber R$ 1,00 por ação. 

Provavelmente, você vai parar para analisar: se os juros estão em um patamar em torno de 2 e 3% ao ano, o retorno via dividendos que eu espero dessa empresa, me parece atraente em uma primeira análise.

3. Trades de curto-médio prazo

As corretoras e as mesas de operações dos escritórios de assessorias de investimentos, realizam um trabalho mais ativo com aqueles clientes que querem se aproveitar de oportunidades pontuais e específicas no mercado de ações. 

Essas oportunidades são recomendadas por analistas certificados e os clientes podem definir o quanto querem aportar em cada operação e também definir o máximo de perda e os objetivos de ganho que desejam a cada trade, ou seja, a cada operação. 

Essas operações podem ocorrer dentro do mesmo dia, o chamado day-trade, ou podem durar semanas ou meses.  

Muitos clientes que possuem estratégias de longo prazo como carteiras de ações, Fundos ou ETFs, também destinam uma parte de seus recursos para esse tipo de operação mais oportunista.

É importante lembrar que algumas delas são mais voltadas para quem quer delegar a gestão dos seus recursos e outras para quem quer ter uma participação mais ativa podendo sempre combinar diferentes estratégias dentro da sua divisão da alocação de recursos.

Nada nos impede de combinar as estratégias.

Falando nisso: 

A Monte Bravo tem o melhor time de especialistas em renda variável para transformá-lo em um investidor no mercado de ações ou dar mais musculatura aos seus investimentos, capacitando-o para o mundo dos traders.

Em cima do lance, a equipe vai posicioná-lo sobre os papéis mais propensos para o trade diário, os menos sujeitos às oscilações do swing trade e os mais voltados para os rendimentos a longo prazo.

Tudo isso com uma linguagem clara e franca, como esse post. Gostou? Então curta nossas publicações nas redes sociais e acompanhe outras dicas sobre o mundo dos investimentos.

*Este artigo foi escrito por Marina Seixas, produtora de conteúdos da Monte Bravo.

Artigos Relacionados

  • 08

    Quarta

    Jun

    08/06/2022 às 15:59

    Investimentos

    Pessoas físicas dominaram os investimentos em Fiagros

    Compartilhe

    CompartilheOs Fiagros caíram no gosto dos investidores, especialmente, pessoas físicas. Um estudo da B3, a Bolsa de Valores brasileira, mostra que este perfil corresponde a 98% do volume investido na classe, que passou a marca dos R$2 bilhões.  Além disso, o levantamento ainda revela que desde a sua criação, em 2021, o número de investidores […]

    Continue lendo
  • 25

    Quarta

    Mai

    Como funcionam os ciclos econômicos no Brasil e como impactam investimentos? Entenda.

    25/05/2022 às 10:04

    Economia

    Como funcionam os ciclos econômicos?

    Compartilhe

    CompartilheOs ciclos econômicos são um dos assuntos mais importantes para o investidor. Isto porque eles são responsáveis por boa parte do direcionamento de fluxo de capitais, seja no Brasil ou em qualquer outro país. De forma resumida, compreender como funcionam os ciclos econômicos ajuda a entender para onde vai o dinheiro e como você pode […]

    Continue lendo
  • 30

    Quarta

    Mar

    Collar é estratégia de proteção (Crédito: Unsplash/Joshua Mayo)

    30/03/2022 às 16:14

    Investimentos

    O que é um Collar e para que serve?

    Compartilhe

    CompartilheO Collar é uma estratégia de defesa para o(a) investidor(a) que já possui ou deseja comprar um ativo como proteção. Nessa estrutura, quem investe consegue garantir que a posição seja mantida em caso de queda do mercado ao mesmo tempo em que possibilita as chances de ganhos, se houver valorização e aumento de preços. No […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1