13/08/2021 às 10:00

13

Sexta

Ago

2 minutos de leitura
Compartilhar
Compartilhe

Por Rebeca Nevares, Sócia da Monte Bravo.

Os mercados futuros têm sido alvos de muitas críticas nos últimos tempos, mas o que poucos sabem é que este tipo de operação pode ser vantajosa desde que utilizada com conhecimento. De forma resumida, esta modalidade negocia contratos de moedas (dólar), índices (Ibovespa e S&P 500) e as commodities, foco do artigo de hoje.

A criação deste mecanismo foi motivada pela proteção (ou hedge, para usar o termo de mercado) da carteira de investimentos ou, no caso de um produtor rural, de toda a sua safra.

Imagine o seguinte cenário. Há poucos dias, a cidade de São Paulo registrou cerca de 5ºC e essa frente fria também foi sentida em diversas regiões do Brasil. Você provavelmente viu reportagens sobre plantações inteiras perdidas por causa do frio.

Quando isto ocorre, os produtores de grãos, por exemplo, podem amargar sérios prejuízos. Porém, por conta da criação dos mercados futuros, eles podem ao menos minimizar essas perdas com operações estruturadas que darão lucro caso haja algum problema com a colheita.

Por outro lado, além do foco em hedge, este tipo de mercado também pode ser utilizado para movimentos especulativos, o que não é necessariamente ruim desde que o investidor saiba o que está fazendo e não corra riscos desnecessários.

Ao operar contratos futuros, seja um trader ou produtor, é necessário ter uma margem de garantias exigida pela corretora e pela própria B3 (SA:B3SA3). É uma forma que eles encontraram para se certificar de que as operações tenham liquidez.

Em um webinar promovido pela Monte Bravo, a analista técnica da XP, Martha Matsumura, ressaltou que ao operar derivativos, o investidor precisa ter em mente que pode sofrer uma perda patrimonial maior do que aquela pensada inicialmente.

E ressaltou que o mercado de café, por exemplo, tem uma volatilidade muito grande e que pode ser bastante arriscado para o investidor brasileiro uma vez que as negociações são baseadas em dólar.

Ao operar commodities agrícolas, cada contrato equivale a uma quantidade específica de sacas. No caso do milho, apenas um papel é composto por 450. Quando o valor varia R$1 para cima ou para baixo, é multiplicado por 450.

Ou seja, neste caso o ganho ou perda, a depender do movimento, é de R$450. Algo semelhante ocorre com o café e com o boi gordo (cada commodity tem uma peculiaridade própria que deve ser observada).

Neste sentido, é importante ressaltar que a alavancagem permitida por este mercado ajuda a tornar os ganhos mais relevantes, mas quando há perdas, o machucado pode ser ainda maior. Além disso, caso você queira operar contratos futuros, o recomendado é sempre colocar uma parte que represente uma fração muito pequena do seu patrimônio.

De forma resumida, ao adentrar neste universo de derivativos, é preciso que o investidor tenha alguma base a fim de evitar erros que comprometam o seu futuro financeiro. O indicado, sem dúvida, é operar neste ambiente com a ajuda de um profissional ou após muitas horas de estudo. Bons negócios!

Artigos Relacionados

  • 11

    Quarta

    Mai

    11/05/2022 às 14:01

    Economia

    Web 3.0: o que é e como impacta os investimentos?

    Compartilhe

    CompartilhePor Helbert Costa, responsável pela área de inovação da Monte Bravo Investimentos Não é lá novidade que o mundo tem passado por um processo de transformação acelerado, sobretudo, no que diz respeito à tecnologia. Há dez anos ou 15 anos não ouvíamos os termos criptoativos e metaverso no Brasil, comuns no dia a dia de […]

    Continue lendo
  • 10

    Quinta

    Mar

    10/03/2022 às 13:57

    Economia

    A Rússia pode quebrar financeiramente?

    Compartilhe

    CompartilheDepois das sanções impostas à Rússia, com a incapacitação de envio de recursos através do sistema SWIFT, serviço de padronização de mensagens e informações financeiras, muitas dúvidas surgiram quanto a estabilidade econômica do país: será que a Rússia pode quebrar financeiramente? Um dos pontos mais discutidos do momento é sobre as reservas russas e se […]

    Continue lendo
  • 23

    Quarta

    Fev

    23/02/2022 às 15:32

    MB Sócios

    O que é uma Holding Familiar? Saiba se está na hora de criar a sua

    Compartilhe

    CompartilhePor Marina Gonçalves, advogada e responsável pela área de Wealth Planning na Monte Bravo  O planejamento patrimonial é fundamental para preservar, organizar e perpetuar o legado familiar. Com a devida execução, ele possibilita maior eficácia na governança, harmonia entre os membros da família, além de evitar litígios na disposição e partilha de bens, e ainda […]

    Continue lendo
Invista com a gente

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

Fechar

Loading...

Fechar

1