30 anos da moeda real: quanto R$ 1 da época valeria hoje? - Monte Bravo

30 anos da moeda real: quanto R$ 1 da época valeria hoje?

05/07/2024 às 23:03

05

Sexta

Jul

3 minutos de leitura
Compartilhar

A moeda real completou 30 anos na segunda-feira (01). Ela fazia parte do Plano Real, criado por Fernando Henrique Cardoso, na época ministro da Fazenda no governo de Itamar Franco.

Lançado em fevereiro de 1994, o programa tinha o objetivo de estabilizar a economia e controlar a inflação desenfreada que queimava o salário dos brasileiros.

“Mesmo que tenha a mudança de padrão monetário como principal ícone, a reforma econômica realizada nos anos 1990 foi muito mais complexa do que uma ‘simples’ troca de moeda. Alguns dos mecanismos usados na implementação do Real foram cruciais para garantir o sucesso da então nova moeda, que já é a segunda mais longeva da história do Brasil desde a nossa independência”, afirmam os economistas da Monte Bravo.

Mas o R$ 1 lançado há três décadas não tem o mesmo valor hoje. Isso porque, de lá para cá, houve um acúmulo de inflação e a moeda se desvalorizou. Ou seja, para arcar com a compra de R$ 1 em 1994, você precisaria de R$ 8,08 do dinheiro de hoje.

De acordo com a calculadora de inflação do Banco Central, trata-se de um aumento de 708%, quando comparado com o Índice de Preços do Consumidor Amplo (IPCA) de maio — último índice cheio até agora.

Você se lembra das moedas de antes do Plano Real?

Antes do real, o governo tentou usar outras moedas para parar a alta desenfreada dos preços. Desde 1500, o Brasil já passou por nove moedas oficiais – seis delas foram lançadas entre os anos 80 e início dos 90.

Relembre quais moedas já passaram pela sua carteira:

Até 1942: Réis

No período colonial, a moeda que se popularizou no Brasil foi o réis, que era a usada em Portugal nos séculos 15 e 16 – aliás, o nome oficial já era real, que se derivou em réis. A moeda se manteve até depois da Independência do Brasil e a Proclamação da República.

De 1942 a 1967: Cruzeiro

A primeira mudança aconteceu lá nos anos 40 com o objetivo de padronizar a moeda em circulação. Afinal, entre os 400 anos que separam a chegada de Pedro Álvares Cabral e a adoção do cruzeiro, a nota de réis mudou muitas vezes para dar conta das mudanças de governantes, saída da família real, e por aí vai. Na época, mil réis (Rs 1$000) passaram a valer 1 cruzeiro (Cr$ 1).

De 1967 a 1970: Cruzeiro Novo

A inflação desvalorizou o cruzeiro, que foi substituído pelo cruzeiro novo. Na época, houve outro corte dos zeros: mil cruzeiros (Cr$ 1 000) passaram a valer 1 cruzeiro novo (NCr$ 1). Curiosidade: essa mudança foi temporária. Por isso, os papéis-moeda de cruzeiro foram carimbados, informando que eram de cruzeiro novo.

De 1970 a 1986: Cruzeiro

Nos anos 70, o cruzeiro voltou a circular, mas o valor se manteve o mesmo. Então, 1 cruzeiro novo (NCr$ 1) passou a valer 1 cruzeiro (Cr$ 1).

De 1986 a 1989: Cruzado

Com o fim da Ditadura Militar, o Brasil já se viu no meio de uma inflação alta, de mais de 100%. Na tentativa de resolver isso, o então presidente José Sarney e o ministro da Fazenda Dilson Funaro lançaram o Plano Cruzado: mil cruzeiros (Cr$ 1.000) valiam um cruzado (Cz$ 1).

De 1989 a 1990: Cruzado Novo

A inflação não deu trégua. A solução foi mais um corte de zeros: mil cruzados (Cz$ 1.000) passaram a valer 1 cruzado novo (NCz$ 1).

De 1990 a 1993: Cruzeiro

Olha o cruzeiro aí de novo. A moeda foi ressuscitada durante o Plano Collor, em uma época que a inflação já chegava na casa dos 2.000%. E 1 cruzado novo (NCz$ 1) passou a valer 1 cruzeiro (Cr$ 1).

De 1993 a 1994: Cruzeiro Real

O presidente Fernando Collor renunciou para fugir do impeachment e quem assumiu foi o vice Itamar Franco. E foi lançada uma nova moeda temporária, o cruzeiro real – mil cruzeiros (Cr$ 1.000) eram o equivalente a um cruzeiro real (CR$ 1).

Desde 1994: Real

Em fevereiro de 1994, o então ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso lançou o Plano Real, que contava com todo um ajuste fiscal para pôr ordem na economia. Aqui, a mudança da moeda foi um pouco diferente: 2.750 cruzeiros reais (CR$ 2 750 ) eram equivalentes a uma Unidade Real de Valor (URV), ou URV 1. E essa unidade valia um real (R$ 1).

Matéria publicada no Money Times

Artigos Relacionados

  • 15

    Segunda

    Jul

    15/07/2024 às 11:16

    Sala de Imprensa

    Atentado contra Trump: como vai repercutir no mercado hoje

    Para analistas, o atentado contra Trump, consolida o candidato republicano como favorito na disputa à Casa Branca; veja as consequências O mercado hoje tende a abrir com valorização do dólar contra as moedas emergentes, inclusive o real. Além disso, o investidor nesta segunda-feira (15) pode ficar receoso com uma possível vitória do candidato republicano Donald Trump, nas eleições presidenciais dos …

    Continue lendo
  • 12

    Sexta

    Jul

    12/07/2024 às 17:40

    Sala de Imprensa

    FII Fechado: Monte Bravo faz distribuição para JHSF Capital e eB Capital

    A JHSF Capital e a eB Capital concluíram a primeira tranche de captação do fundo de investimento imobiliário (FII) focado em imóveis residenciais no segmento de alta renda que as duas gestoras criaram em parceria no ano passado. Com distribuição da Monte Bravo Corretora, que levantou R$ 146,5 milhões, a oferta fechou num total de …

    Continue lendo
  • 10

    Quarta

    Jul

    10/07/2024 às 10:11

    Sala de Imprensa

    Oferta de CRIs: parceria Monte Bravo e Edificatto é destaque

    Projetos imobiliários atraem setor financeiro O montante levantado pela corretora de investimentos Monte Bravo será investido no Terraz Condomínio Clube, um empreendimento da Edificatto Empreendimentos em Primavera do Leste (240 km de Cuiabá) e outras cidades-polo do agronegócio chamam a atenção do mercado financeiro. Com projetos arrojados, a Edificatto Incorporadora se aliou à corretora de …

    Continue lendo

Fechar

Loading...