Renda Variável

Ações na Bolsa de Valores: o que são, como investir e quais são os riscos?

05/03/2020

Compartilhe

Se você já fez uma pesquisa rápida sobre o mercado financeiro, provavelmente já ouviu falar do termo “ações”. É uma outra alternativa existentes para investir seu dinheiro além da já habitual renda fixa.

Mas para investir em ações da bolsa de valores é importante entender como funciona esse mercado, o que de fato você está comprando e como e quando (e se) receberá o retorno de seus investimentos. 

Afinal de contas, ninguém quer perder dinheiro por investir em algo que não possui pleno conhecimento. Alguns dos quesitos importantes para ter bons retornos é disciplina e conhecimento do mercado. 

Separamos esse guia sobre o que são ações, como elas funcionam e outras informações importantes para te ajudar a entender o funcionamento do mercado e escolher os melhores investimentos para sua carteira.

O que são ações?

As ações de uma empresa são frações de seu capital social. O que isso significa? As ações são “pedacinhos” da empresa que elas colocam à venda na bolsa de valores. Assim, ao comprar uma ação você adquire parte da empresa.

É uma maneira fácil e prática de “se tornar sócio” da empresa. Isso pois você comprará parte dela.

Portanto, para investir em ações de empresa é importante que você confie nela. Estude o momento pela qual ela está passando, quem faz parte da diretoria, como está o mercado de atuação dela e outros fatores importantes que irão interferir diretamente em seu sucesso.

Investir em uma empresa com muitas dívidas ou envolvida em escândalos de corrupção é mal visto por grande parte dos investidores. 

Ao comprar ações, o investidor torna-se um acionista minoritário. Ou seja, como falamos isso implica que ele terá parte da empresa, porém sem todos os trâmites burocráticos de fazer parte da sociedade de uma empresa de capital fechada – que não tem ações na Bolsa. 

homem digitando em calculadora
Se a empresa prosperar e crescer continuamente, seu investimento será valorizado. Porém, se ela estiver indo mal, seu pedaço da empresa irá mal também junto com as ações. 

Por que as empresas vendem ações? 

Vender ações na Bolsa de Valores é uma maneira de conseguir recursos financeiros para a empresa. Em muitos casos, ou ela não tem dinheiro suficiente guardado para expandir, ou faz mais sentido financeiro buscar dinheiro no mercado. 

Por isso, lançam ações para que possam ser compradas. Quem compra as ações está na verdade investindo na empresa – e ela poderá utilizar o dinheiro para expandir os negócios. 

A vantagem desse tipo de arrecadação de recursos para a empresa é que ela não paga juros, como por exemplo se pegasse emprestado de instituições financeiras.

Além disso, o investidor não pode devolver as ações para a empresa, pode apenas vender para terceiros – há não ser em casos específicos de recompra de ações por parte das empresas, um método que elas utilizam para tê-las de volta principalmente quando o preço das ações está muito baixo.

Como funcionam ações?

No Brasil, elas são negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Isso não significa que você precisará ir até a capital paulista para investir: é possível fazer tudo pela internet. Mas é a Bovespa que regulamenta e fiscaliza o mercado de ações por aqui. 

Todas as ações são negociadas por corretoras autorizadas legalmente pela Comissão de Valores Imobiliários (CVM). Por isso, antes de começar a investir, é importante verificar se a corretora escolhida está regularizada. 

Atualmente, é possível comprar ações de três maneiras diferentes. 

1- Fundos de Investimento

Um fundo de investimento funciona como um condomínio: cada investidor tem uma cota do investimento total. É necessário seguir o estatuto e as regras do fundo, já que cada um tem o seu. 

Além disso, é necessário ter um gestor certificado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). É ele quem coordena as compras e vendas das ações do fundo. 

Antes de entrar em um Fundo de Investimentos, é necessário entender o risco dos investimentos dele e quais são as regras que o permeiam.

2- Clubes de Investimento

Essa modalidade pode ser formada por conhecidos ou até familiares, portanto é menos formal que a primeira. Não é necessário ter um gestor certificado, mas é preciso definir um representante oficial que coordenará junto à corretora a compra e venda das ações.

O Clube de Investimento pode ter de 3 a 150 integrantes e garante aos membros uma liberdade no tipo de investimentos. 

3- Investir por conta própria

Nesse caso, o próprio investidor controla a compra de venda de suas ações. Ele irá escolher a corretora de sua preferência e poderá contar com consultores para auxiliar nesse processo. 

O que é a Bolsa de Valores e como ela é operada? 

A Bolsa de Valores é o local onde as ações são negociadas. Ou seja, é o ambiente de negociação  onde empresas conseguem anunciar suas ações e investidores têm acesso a essas ofertas, escolhendo as que fazem mais sentido para sua carteira de investimentos. 

Para ficar mais claro é possível fazer uma analogia. Pode-se comparar com um supermercado, onde as marcas querem vender seus produtos e os compradores querem comprá-los. 

Assim como o supermercado, a Bolsa de Valores é o local onde essa compra e venda acontece.

Se você tem interesse em comprar ações – ou é uma empresa e quer vendê-las – é lá que deve estar. Ela foi criada para garantir que esse tipo de transação seja feita de maneira segura e formal, evitando fraudes e golpes. Além disso, garante a rapidez e liquidez das transações. 

Todas as negociações que acontecem na Bolsa são intermediadas por corretoras. Elas servem para auxiliar o processo e ser um ponto de apoio entre os investidores e as empresas.

Mão indicando onde é para assinar no papel e mulher com uma caneta na mão assinando
Escolha sempre uma corretora de confiança e que esteja bastante tempo no mercado.

Quais são os tipos de ações?

Existem diferentes tipos de ações para diferentes perfis de investidores. Por isso, é importante conhecer bem cada tipo para escolher o que faz sentido com seus objetivos. 

Ações ordinárias

As ações ordinárias são as mais conhecidas. Quando procuradas pelos investidores, são encontradas com a sigla ON. Elas dão ao investidor o poder de voto. 

Ou seja, se você investir em uma ação ordinária poderá participar de reuniões da empresa, inclusive influenciando na tomada de decisões importantes. Você terá direito de voto nessas decisões, provavelmente junto a outros investidores, o que torna sua ação importante para decidir o futuro da empresa.

Além disso, você terá a tag along de 80%. Ou seja, se a empresa for vendida, você receberá no mínimo 80% do valor proposto na negociação. Por fim, nesse tipo de ação você também tem direito sobre a distribuição de lucros.

Ações preferenciais

Diferente das ações ordinárias, essas não dão direito de voto ao investidor. Porém, ele terá uma fatia maior dos proventos, além de prioridade na hora do pagamento. Ou seja, na hora de distribuir os lucros, as empresas dão prioridade a esse tipo de ação. 

Por isso, elas são recomendadas para quem quer formar renda, por exemplo em casos de pessoas que optam em investir na Bolsa para formar a aposentadoria.

As ações preferenciais costumam ser bem procuradas no mercado. Por isso, podem ser uma boa opção se você pensa em vendê-las depois.

Como as ações são cotadas?

O valor da cotação das ações leva em consideração a oferta e a demanda pela ação. A empresa estipula um valor mínimo e a quantidade de ações que vai disponibilizar para os investidores quando abre seu capital. Por sua vez, estes devem informar o número de ações que querem comprar o preço máximo por elas.

O valor das ações será o que permitir que sejam vendidas um maior número de títulos tendo em consideração os dois lados: empresa e investidor.

A primeira vez que uma ação é listada na Bolsa, é difícil fazer sua cotação da maneira clássica, pois ninguém conhece o desempenho dela ainda. Porém, o mercado tenta simular o comportamento das ações que já estão listadas anteriormente.

Depois desse período inicial de entrada na Bolsa de Valores, o preço das ações é controlado pelo mercado. Ou seja, a empresa não tem mais o controle sobre o preço de suas ações.

Ele é controlado por fatores externos, como oferta e demanda, expectativas dos investidores sobre a empresa e condições macroeconômicas como mudanças políticas e implementação de leis. 

É por isso que o preço das ações sofre variações ao longo do dia. Pois os fatores externos estão, o tempo inteiro, interferindo na cotação do preço.


Pensando em investir em ações?

Entre em contato com a Monte Bravo Investimentos e abra sua conta!


Como comprar ações?

Comprar ações na Bolsa de Valores não é tão complicado quanto parece. Como já dissemos, é possível fazer isso de forma independente – sem fazer parte de um fundo ou clube de investimento. 

Porém, é necessário que você tenha uma corretora de valores que vai intermediar as negociações. Veja o passo a passo de como comprar ação. 

1- O primeiro passo é escolher sua corretora de valores. Existem várias opções no mercado para diferentes perfis. Escolha a que mais se adequa às suas necessidades. Lembre-se de conferir se ela está autorizada a operar.


2- Após escolher a corretora de sua escolha, abra sua conta nela com seus dados pessoais. Preencha tudo com atenção.


3- Após avaliar o quanto irá investir, transfira o dinheiro da sua conta bancária para a nova conta da corretora de valores. Faça isso através de TED de mesma titularidade.


4- Quando acessar sua conta, lembre-se sempre de escolher a opção home broker, o ambiente onde as ações da bolsa são negociadas. É lá que você verá as ações e suas cotações.


5- Tendo a visão do home broker finalmente é hora de investir. Analise todas as ações disponíveis, os gráficos e, se necessitar, pode pedir ajuda a sua corretora de valores. Algumas empresas oferecem serviços de aconselhamento para investir na Bolsa.

O lote padrão de investimento é de 100 papéis e você pode investir apenas durante o pregão, que acontece das 10h até 17h, apenas em dias úteis. Mas é possível também encontrar lotes diferentes, com 10 ou 10.000 papéis, por exemplo.

6- Pronto. Agora sua ordem foi executada. No fim do pregão, suas ações irão oficialmente pertencer a você e serão cobradas as taxas envolvidas.

Mulher sorrindo e olhando para o computador
É preciso um bom planejamento financeiro para realizar compra de ações com segurança.

Quando vender minhas ações?

Você pode vender suas ações a qualquer momento. Basta entrar no seu sistema e lançar a oferta de venda, especificando a quantidade de papéis que irá vender. Porém, é necessário que tenha um comprador interessado – se não, a ordem de venda pode demorar a acontecer. 

A hora certa para vender suas ações vai depender muito dos objetivos dos seus investimentos e do seu perfil de investidor. Por isso é necessário estudar as condições do mercado e ter em vista quais são seus objetivos sempre. 

Faça projeções de quanto lucro você quer com os investimento. Geralmente, vendem-se as ações quando esse lucro esperado é alcançado. Fique sempre de olho nas outras ações disponíveis do mercado. Pode ser que você enxergue uma oportunidade melhor de investimento, e faça sentido vender suas ações para investir em outras. 

Que empresas podem ter ações na Bolsa?

Para lançar ações na Bolsa a empresa precisa se preparar antes. É preciso analisar se a empresa está pronta para esse processo. Fatores como consolidação da marca, boa gestão de negócios, reconhecimento dos produtos, administração transparente e imagem positiva perante os principais públicos são fatores importantes nesse processo.

Se depois de analisar o momento da empresa perceber que é o momento, deve-se preparar a abertura do capital. É interessante que se contrate profissionais com experiência nesse processo. Assim os riscos serão diminuídos.

Algumas empresas com ações na Bolsa de Valores 

Existem diversas empresas com ações listadas na Bolsa. Você pode encontrar todas no site da Bolsa de Valores. Contudo, algumas empresas têm suas ações bastante procuradas pelos investidores. 

Separamos uma lista com algumas das empresas que têm ações com boa liquidez na Bolsa:

  • Petrobras
  • Vale
  • Usiminas
  • Magazine Luiza
  • Oi 

Quem pode investir?

Basicamente qualquer pessoa com documentos válidos pode investir na Bolsa de Valores. Basta abrir uma conta em uma corretora de valores com seus dados e começar a investir. 

Na forma de investidor individual, não existe um valor mínimo para começar a investir. Portanto, basta entender suas economias e separar o valor que faz sentido para você.

Vale lembrar que investir na Bolsa é um investimento de risco, diferentemente de outras opções existentes no mercado. Ou seja: é necessário que você estude e veja se esse tipo de opção realmente combina com o seu perfil. 

Além disso, é necessário ter conhecimento sobre as empresas escolhidas e o mercado em que estão inseridas. Nesse processo, é importante conversar com algum consultor da sua corretora de valores para te ajudar a escolher as melhores opções de ação e compor sua carteira de investimentos. 

Por que investir? Veja algumas vantagens

O número de investidores individuais na Bolsa está aumentando. Segundo dados divulgados pela própria Ibovespa, em 2019, 100 mil novos investidores passaram a investir. O número total de investidores no ano, ultrapassou 730 mil – patamar que não era alcançado desde 2010. 

Isso é um indicador de que pode ser uma boa opção para os brasileiros investirem o dinheiro, embora a cultura de investir em ações não esteja muito presente por aqui. 

Esse é um tipo de investimento de risco. Ações são ativos com uma renda variável: isso significa que não é possível calcular o retorno do capital da hora do investimento, já que ele pode variar positivamente ou negativamente de acordo com as condições do mercado. 

Por isso, muitas pessoas têm receio de aplicar nesse tipo de investimento, preferindo os de renda fixa (como o Tesouro Direto), onde é possível saber quais serão seus ganhos após determinado tempo. 

Porém, é possível conseguir bons lucros apostando em ações. Confira algumas vantagens desse tipo de aplicação: 

Investimento em empresas

Ao investir em ações, diferentemente de quando se investe em alguma opção de renda fixa, você está investindo em empresas reais e não em dívidas. Ou seja, na renda fixa você empresta o dinheiro para o governo ou empresa que irá te devolver o valor com juros. 

Já em ações, você investe no crescimento de empresas reais. Isso significa que se a empresa tiver um supercrescimento, seus lucros também terão. 

Liquidez

Ações são fáceis de vender. Nesse tipo de investimento, se você precisar retirar o dinheiro para um emergência ou simplesmente não quiser mais administrá-lo, você pode vender as ações a qualquer momento.

Oportunidade de bons lucros

Outro ponto positivo das ações é que você ganha em dois momentos diferentes. Primeiro, se o preço da ação fica mais alto você é beneficiado. Ou seja, se tem mais procura pela ação, o preço aumenta e você lucra. 

Além disso, você também vai ganhar na hora de distribuição dos dividendos da empresa – uma parte do lucro dela que são divididos entre os acionistas. 

Algumas empresas são bastante generosas na hora de dividir os dividendos. Por isso, pesquise antes de escolher em quais empresas irá investir. 

Pensamento a longo prazo

Investir em ações é pensar a longo prazo. É possível conseguir grandes lucros se escolher boas ações e mantê-las na sua carteira por um bom tempo. Imagine: uma empresa acaba de entrar na Bolsa, com boas perspectivas de crescimento. Mas, por enquanto, as ações ainda estão baratas e a empresa não é tão conhecida. 

Pode ser que, com 5 anos de investimento, a empresa tenha um boom e se torne mais conhecida, venda mais e aumente o preço das ações. Pronto, o seu investimento inicial valeu a pena. 

Homem utilizando calculadora e colocando em um pote moedas
Pense nesse tipo de investimento no longo prazo e em como e quais as empresas poderão crescer e dar lucros. 

E quais são os riscos em investir?

Claro que também existem riscos. Como já dito, são investimentos arriscados para quem tem um perfil menos conservador. Confira alguns riscos possíveis em investir em ações. 

Problemas da empresa

Lembre-se que investir em ações é investir em uma empresa. Portanto é necessário pesquisar como está a saúde dela: ela está crescendo? A imagem perante o público é positiva? Está envolvida em escândalos? Quais são os índices de rentabilidade e endividamento? Como está o mercado de atuação? 

Analise fatores importantes que podem levar a empresa a prosperar ou não. Afinal, você se tornará um sócio da empresa, então é importante conhecer seu status atual e percepção de futuro. Assim evitam-se surpresas de mau desempenho financeiro da empresa e, consequentemente, de seus investimentos.

Riscos de mercado

As ações podem ser desvalorizadas também por variáveis macroeconômicas externas, que não podem ser controladas pela empresa. Por exemplo, aplicação de novas leis, intervenção estatal nos bancos ou até condições de guerra. 

Esses riscos não conseguem ser controlados nem pela empresa e nem por você. E eles representam os riscos do mercado, assim como interferem nas taxas de juros, inflação e até desemprego.

Por fim, devo ou não investir em ações?

Lembre-se sempre que investimentos são riscos: alguns apresentem um risco alto e outros são mais estáveis. Portanto, é preciso entender quais são suas necessidades e propensão ao risco. 

No mercado de ações é possível ganhar bons lucros, principalmente pensado ao longo prazo. Porém, os riscos também são grandes. 

Uma estratégia interessante é diversificar sua carteira de investimentos. Não invista todo o dinheiro em ações de uma determinada empresa. Além disso, uma boa ideia é intercalar também com investimentos de renda fixa. Assim, se as ações não prosperarem da maneira esperada, você ainda terá o rendimento fixo. 

Entenda sempre quais são suas expectativas e o que o mercado tem a oferecer.


Invista com a melhor assessoria de investimentos do Brasil

Entre em contato com a Monte Bravo Investimentos e abra sua conta!


Compartilhe

Quer saber como investir melhor o seu patrimônio?

Invista para potencializar as suas conquistas.

Leia também

  • 11

    sexta

    jun

    11/06/2021

    MB Weekend

    MB Weekend #03 | CPI americano elevado: quais os seus impactos?

    Compartilhe

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 11

    sexta

    jun

    11/06/2021

    Economia

    Ibovespa em 129 Mil Pontos. O Brasil Está Mesmo no Pico?

    As últimas semanas foram bastante movimentadas no mercado brasileiro. O mês de maio foi marcado pela alta do nosso Ibovespa, que bateu a marca de 129 mil pontos no dia 02/06. Contudo, será que estamos realmente no pico? De acordo com o estrategista da XP Investimentos, Fernando Ferreira, o Ibovespa está deflacionado quando olhamos IPCA e outros indicadores. […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 10

    quinta

    jun

    10/06/2021

    MB Stocks

    Como o Brasil está reagindo ao superciclo das commodities?

    Nosso Sócio e Head de Renda Variável, Bruno Madruga, recebeuRicardo Kazan, Trader de Commodities na Legacy Capital (@legacy.capital), para uma conversa sobre: Como o Brasil está reagindo ao superciclo das commodities?⠀⁣⁣⁣⠀⠀⁣⁣⁣Veja os principais tópicos da conversa: ⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣⠀⠀⁣⁣⁣⠀⠀– Commodities: estamos em superciclo?;⁣⁣⁣⠀⠀– Como o investidor pode fazer esse tipo de alocação em seu portfólio;⁣⁣⁣⠀⠀– Quais commodities […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 10

    quinta

    jun

    10/06/2021

    Economia

    Por que o mercado dos EUA interfere na bolsa brasileira?

    Quem acompanha o mercado financeiro sabe que tão ou mais importante que os indicadores nacionais são os números apresentados pelo mercado dos Estados Unidos. Mas, por que os resultados das bolsas e da economia norte-americana têm tanto impacto por aqui? Se você pensou na globalização, saiba que isso responde apenas a parte da questão. De […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 02

    quarta

    jun

    02/06/2021

    Como Investir

    BDRs: uma solução para investir lá fora e diversificar a carteira

    Desde 2020, investidores de todos os perfis podem negociar BDRs: Brazilian Depositary Receipts, que são os títulos de empresas negociados no exterior. Até então, essa possibilidade se resumia aos investidores qualificados – aqueles que possuem mais de R$ 1 milhão em carteira. Na prática, a medida abriu mais frentes para diversificação dos investimentos, que agora […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 02

    quarta

    jun

    02/06/2021

    Como Investir

    Veja as evoluções das aplicações financeiras de maio/2021

    O mês de maio trouxe algumas mudanças no cenário econômico, mas que se manteve incerto. A aprovação do Orçamento de 2021 e o andamento da CPI da Covid-19, impactaram diretamente na retomada econômica. Sendo assim, veja abaixo o que todos esses fatores influenciaram nas evoluções das aplicações financeiras deste último mês. Compartilhe

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 27

    quinta

    maio

    27/05/2021

    Institucional

    Brazil Journal cobre o lançamento da nova marca da Monte Bravo

    A Monte Bravo, o maior escritório de agentes autônomos do Brasil, está reposicionando sua marca e seu discurso para um público de mais alta renda — e reiterando planos de se tornar uma corretora independente em meio ao acirramento da guerra das plataformas. “O modelo de AAI sempre foi muito útil pra gente, foi um […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 21

    sexta

    maio

    21/05/2021

    Como Investir

    Abertura da curva de juros: Como investir diante deste cenário?

    A principal função da curva de juros é atuar como uma ferramenta de projeção que mostra como o mercado precifica o risco do país. Se você já investe e acompanha o mercado há algum tempo, provavelmente já ouviu falar em abertura ou fechamento da curva de juros. Mas o quê, exatamente, isto significa e como pode […]

    Compartilhe

    Continue lendo
  • 19

    quarta

    maio

    19/05/2021

    Institucional

    Monte Bravo anuncia tenista Bruno Soares como embaixador da marca

    A Monte Bravo, principal empresa de assessoria de investimentos credenciada à XP, acaba de anunciar o tenista Bruno Soares como embaixador da marca. A parceria, que envolve um projeto de longo prazo, consistirá no apoio em competições como as Olimpíadas de Tóquio, tendo como contrapartida a exposição da marca na mídia. De acordo com a sócia […]

    Compartilhe

    Continue lendo

R. Min. Jesuíno Cardoso, 454 - 9° andar Vila Nova Conceição, São Paulo-SP, 04544-051

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que utilizamos para melhorar sua experiência.

1